"A Única coisa necessária para o mal triunfar é que os homens bons não façam nada." (Edmund Burke)

*Pulsares Recentes:

* Levar

* Respira

* Páscoa

* Hóspede não convidado...

* Remar, Remar...

* Forte

* 90 Metros (Uma Historia d...

* Canção da Terra

* Perseguindo Carros

* Palavras

* Dilúvio

* ANJO

* Lamento Recente

* O Homem Invisível

* Começar!

* O Templo

* A música que merecemos...

* DOMINGO SANGRENTO DOMINGO

* Li

* As Pessoas são Estranhas

* INICIAR

* DESORDEM

* Navegue ...

* Estranho

* Não Existo…

* LUKA

* África...

* O PRIMEIRO DIA

* Tu tens um amigo...

* Um

*Pulsares Remotos:

* Julho 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Outubro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

*Raios de:

Sexta-feira, 5 de Outubro de 2007

Criança (Não vejam porque não é pornografia barata!!)



Criança de arma em punho,

tiraram-te a vida para a tirares,

fizeram-te em homem rascunho,

para deixares de abraçares.

 

Criança nua em mãos pedófilas,

tiraram-te a inocência e a pureza,

deixaram sem futuro e sem clorofilas,

para deixares de dar mais belezas.

 

Crianças tiradas do amor,

decidem por ti sem existires,

és peça de um jogo ajuizador,

cego e frio da lei sem ferires.

 

Criança que te tiraram a vida,

esventraram-te e saquearam-te,

e ninguém sente essa ferida,

porque simplesmente inútil acharam-te.

 

Criança que te abandonaram na rua,

ao frio, ao calor da vida sem sentido,

onde está o optimismo dos optimistas,

onde está a ajuda dos fundos de solidariedade,

onde está a protecção de que tanto te falam.

Enquanto isso existem milhares de gajos e gajas, a curtir férias e boas vidas à tua custa, à custa de ti criança. Quem me dera para sempre ser criança…

Minha Doce Criança

Ela tem um sorriso que para mim parece
me fazer lembrar memórias de infância,
de quando tudo era fresco como o brilhante céu azul
agora então, quando vejo seu rosto
ela me leva para aquele lugar especial,
e se eu olhasse muito
provavelmente perderia o controlo e choraria.

Oh, Oh, Oh
Minha doce criança,
oh, oh, oh
Meu doce amor.

Ela tem olhos do azul mais celestial,
como se eles pensassem na chuva.
Eu odeio olhar naqueles olhos
e ver um traço de dor.
Seus cabelos me lembram um lugar quente e seguro,
onde quando eu era criança eu me escondia,
e rezaria para o trovão
e para a chuva,
calmamente passarem por mim

Oh, Oh, Oh
Minha doce criança,
Oh, Oh, Oh
meu doce amor.

Para onde vamos?
Para onde vamos agora?
Para onde vamos?
Para onde vamos agora
Doce criança?
Para onde?
Para onde vamos agora?
Oh, não, não, não, não
Minha doce criança
Doce.

Dedico este poema, texto ou prosa, o que lhe quiserem chamar, a essas crianças e a muitos milhares delas esquecidas pelo mundo fora e vitimas das maiores e piores atrocidades cometidas por um animal chamado Homem a que eu sinceramente tenho vergonha em pertencer e ainda nos chamamos civilizados, deixa-me rir, os outros animais o que são afinal…

 

Rui Pedro Teixeira Mendonça

 

Sofia Catarina Andrade de Oliveira

 

Ana Patrícia da Conceição Santos

 

Rui Manuel Correia Pereira

 

Cláudia Alexandra Silva e Sousa

 

Madeleine Beth Mccann
Sinto-me: Criança
Música: Guns N' Roses - Sweet Child O' Mine
Por Pulse às 15:05
Link do Post | | Adicionar aos Favoritos

Eclipse...



Sou o teu e o meu convidado Indesejado...

*Mais sobre um Pulsar


Correio de Frequências

*Procurar um Pulsar

 

*Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
RSS