"A Única coisa necessária para o mal triunfar é que os homens bons não façam nada." (Edmund Burke)

*Pulsares Recentes:

* Levar

* Respira

* Páscoa

* Hóspede não convidado...

* Remar, Remar...

* Forte

* 90 Metros (Uma Historia d...

* Canção da Terra

* Perseguindo Carros

* Palavras

* Dilúvio

* ANJO

* Lamento Recente

* O Homem Invisível

* Começar!

* O Templo

* A música que merecemos...

* DOMINGO SANGRENTO DOMINGO

* Li

* As Pessoas são Estranhas

* INICIAR

* DESORDEM

* Navegue ...

* Estranho

* Não Existo…

* LUKA

* África...

* O PRIMEIRO DIA

* Tu tens um amigo...

* Um

*Pulsares Remotos:

* Julho 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Outubro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

*Raios de:

Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

Quando a Música Parar



Quando a música parar, quando a música parar,

quando a música parar, apaga as luzes,

apaga as luzes, apaga as luzes.

 

Quando a música parar, quando a música parar,

quando a música parar, apaga as luzes,

apaga as luzes, apaga as luzes,

apaga as luzes, porque a música é tua amiga íntima.

Dança em cima do fogo, se ela te convidar,

a música será a tua amiga até ao fim,

até ao fim, até ao fim.

 

Risca a minha assinatura para a ressurreição,

as credenciais, envia-as para as casas de detenção,

tenho lá alguns amigos.

 

O rosto no espelho não se há-de sumir,

a moça à janela não vai sucumbir.

Há uma festa de amigos – gritou ela,

viva, à minha espera.

Antes de mergulhar no grande sono

quero escutar, quero escutar

o grito da borboleta.

 

Vem, amor, volta aos meus braços, volta,

estamos cansados de tantos rodeios,

fartos de esperar, de ouvidos no chão.

Estou a ouvir um rumor suavíssimo,

próximo, mas remoto, brando, muito nítido,

vem hoje mesmo, vem.

 

Que têm eles feito da terra?

Que fizeram eles da nossa irmã gentil?

Têm-na devastado, saqueado, esventrado,

despedaçado, apunhalaram-na nos flancos da aurora,

cercaram-na e levaram-na de rastos.

Estou a ouvir um rumor suavíssimo…

Com o teu ouvido colado ao chão…

 

Queremos o mundo e exigimo-lo…

Queremos o mundo, exigimo-lo… já!


Noite persa! Olha a luz!

Salva-nos, salva-nos, ó bom Jesus!

 

Quando a música parar, quando a música parar,

quando a música parar, apaga as luzes,

apaga as luzes, apaga as luzes,

apaga as luzes, porque a música é tua amiga íntima.

Dança em cima do fogo se ela te convidar,

a música será a tua amiga até ao fim,

até ao fim, até ao fim.


Sinto-me: Amar a Música
Música: The Doors - When The Music's Over
Por Pulse às 22:50
Link do Post | | Adicionar aos Favoritos

Eclipse...



Sou o teu e o meu convidado Indesejado...

*Mais sobre um Pulsar


Correio de Frequências

*Procurar um Pulsar

 

*Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
RSS