"A Única coisa necessária para o mal triunfar é que os homens bons não façam nada." (Edmund Burke)

*Pulsares Recentes:

* Levar

* Respira

* Páscoa

* Hóspede não convidado...

* Remar, Remar...

* Forte

* 90 Metros (Uma Historia d...

* Canção da Terra

* Perseguindo Carros

* Palavras

* Dilúvio

* ANJO

* Lamento Recente

* O Homem Invisível

* Começar!

* O Templo

* A música que merecemos...

* DOMINGO SANGRENTO DOMINGO

* Li

* As Pessoas são Estranhas

* INICIAR

* DESORDEM

* Navegue ...

* Estranho

* Não Existo…

* LUKA

* África...

* O PRIMEIRO DIA

* Tu tens um amigo...

* Um

*Pulsares Remotos:

* Julho 2009

* Abril 2009

* Março 2009

* Outubro 2008

* Agosto 2008

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2008

* Março 2008

* Fevereiro 2008

* Janeiro 2008

* Dezembro 2007

* Novembro 2007

* Outubro 2007

* Setembro 2007

* Agosto 2007

* Julho 2007

* Junho 2007

* Maio 2007

* Abril 2007

* Março 2007

* Fevereiro 2007

* Janeiro 2007

* Dezembro 2006

* Novembro 2006

*Raios de:

Quarta-feira, 18 de Julho de 2007

HOMEM DAS MIL FACES

marillion

(This Strange Engine)

ESTE ESTRANHO MOTOR

HOMEM DAS MIL FACES

Faixa 1

(Man of a Thousand Faces)


Eu sou o homem das mil faces

Um pequeno pedaço de mim em todo o lado eu levo

Eu seguro a fita para mil raças

Um ponto de vista diferente em cada discurso que faço

Corta-me um pedaço da minha alma dividida

Chora-me um rio, chama-o rock and roll

Dá-me uma atitude e observa-me a faze-la mentir

Passa-me o microfone

Eu preciso testemunhar

 

Bem eu falo com máquinas com a voz da humanidade

Falo para o sábio com a voz da insanidade

Falo para o presente no tempo passado e futuro

Falo para um escravo com a voz da obediência

 

Eu sou o homem das mil idades

Tu vês a minha face nas pedras do Darthenon

Tu ouves a minha canção no murmúrio da Babilónia

Eu sou o homem das mil riquezas

Sê meu convidado no banquete de Satyrion

Gastas o dinheiro onde o meu logótipo se imprimiu

 

 Bem eu falo com máquinas com a voz da humanidade

Falo para o sábio com a voz da insanidade

Falo para o presente no tempo passado e futuro

Falo para um escravo com a voz da obediência

 

Eu roubei a chama mas ardeu cedo de mais

Eu dei um pulo e aterrei na lua

Olha para a minha vida parece a LUA

Tu viste algo um dia

Tu sabes que se vai aproximar outra vez

 

Bem eu falarei com as máquinas com a voz da humanidade

Falarei para os sábios com a voz da insanidade

Falarei para uma mulher com o charme fatal de uma cobra

Perdoarei como doador e amealharei por tudo o que levar

sim falarei para as máquinas com a voz da humanidade

falarei para um sábio com a voz da insanidade

falarei como um líder com a voz do poder e do comando

e quando falar com Deus eu saberei que me entende

 

Porque eu sou o homem das mil faces

Sim eu sou o homem das mil faces

 

Eu roubei uma chama mas ardeu cedo demais

Eu dei um pulo e aterrei na lua

 

Voz de comando

Voz de uma cobra

Voz da humanidade

Voz da insanidade

Voz da obediência

Mil faces

Mil raças

Chora-me um rio

Rouba uma chama

Face nas estrelas

Pedras no Parthenon

Murmúrio da Babilónia

Aterrou na lua

Sinto-me: Um estranho Engenho...
Música: marillion - This Strange Engine
Por Pulse às 21:42
Link do Post | | Adicionar aos Favoritos

Eclipse...



Sou o teu e o meu convidado Indesejado...

*Mais sobre um Pulsar


Correio de Frequências

*Procurar um Pulsar

 

*Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO
RSS